Este post é um case, porém alguns detalhes me fizeram classificá-lo como causo, porque mostra a solução de um problema operacional e não exclusivamente promocional.

Em 1985  fomos procurados para resolver o problema de administração, em área nacional, de uma campanha de incentivo para a Philco, na Copa do Mundo de 1986.

Nossa tarefa envolvia, entre outros detalhes, o cadastramento de balconistas, a emissão de etiquetas de endereçamento para o envio de material e a emissão de  cupons para sorteio, coisa que hoje qualquer PC resolveria.

Mas era o início de 1985 e não havia PCs, mas somente grandes mainframes, não disponíveis para utilização imediata.

Mas havia os TK-3000.

Com arquitetura Apple de 8 bits, a linha TK foi uma das primeiras linhas de computadores pessoais do país. E por acaso ou não, um de nossos vizinhos na época – o amigo Cláudio Menezes, dono da Disoft Solutions, hoje a líder brasileira do mercado de softwares bancários para leasing e crédito direto ao consumidor – topou conosco o desafio de desenvolver o software de gerenciamento.

E assim foi desenvolvido o primeiro software brasileiro para a administração de programas de incentivo, talvez o primeiro software mundial para essa tarefa.

A campanha rolou, compramos cinco pequenos TK e cinco impressoras Mônica, que cadastraram os 16.000 balconistas e suas 16.000 madrinhas, emitiram alguns milhares de etiquetas e 3.200.000 cupons para sorteio.

Mais tarde o software foi adaptado para PC e até hoje suas versões atualizadas gerenciam campanhas não só de incentivo, mas também promocionais, de trade-marketing e outros formatos.